Entrevista ao Portal JLPolítica – Dores Humanas sob a Covid-19

No último domingo, 17 de maio, participei de uma entrevista no Portal JL Política falando sobre este momento de pandemia e das consequências que a doença Covid-19 traz à saúde mental. Abaixo alguns trechos da entrevista.

NA ESFERA DO SOFRIMENTO PSÍQUICO
“Não tenho nenhuma dúvida de que estamos em uma crise singular e que grande parte da população começa a apresentar indícios de sofrimento psíquico. O isolamento acelera as fantasias e os pensamentos negativos ruminantes sobre o futuro próximo. Sobreviverei?”

UM MOMENTO INCUBADOR DE SOMATIZAÇÕES
“Quando o sujeito não tem válvulas de escape para canalizar suas emoções, o corpo fala. Tenho muitos clientes que estão apavorados e com muito medo de se contaminar com o coronavírus. A angústia passa a ser incontrolável. As mãos e pés ficam frios, há suor, taquicardia, aperto no peito, pressão na cabeça, às vezes vômitos ou diarreias”

DA IMPORTÂNCIA DE MARCAR A VIDA COM RITOS
“Tem que ter hora para tudo. Deve-se fazer um planner. Hora de acordar, hora da atividade física (as academias oferecem gratuitamente aulas online), hora certa para as refeições – nada de pular refeições e ou assaltar a geladeira diuturnamente. Não esquecer de tomar bastante água”

DOS EMBATES ENTRE SAÚDE E ECONOMIA
“Não é uma briga entre o bem e o mal. É uma disputa entre a sobrevivência física, a vida, bem maior do cidadão hoje, garantia fundamental, cláusula pétrea no artigo 5º da nossa carta magna, e a perspectiva de vida material amanhã. Mas de que vale o direito à liberdade ou à propriedade sem a vida? É aí que reside o direito à saúde e à dignidade do sujeito”

DA REPROVAÇÃO AO MODO DE AGIR DE BOLSONARO
“Ele ignora o direito à vida. Tem uma postura de desrespeito, deboche do “so what?”. Na base do “e daí?”. Alguns psicanalistas já fizeram uma série de artigos analisando-o como portador de transtorno de personalidade. Acho que ele tem algumas limitações cognitivas também e deve sofrer muito com seu narcisismo exacerbado. Prognóstico: incurável”

DA MUDANÇA NOS RUMOS DA VIDA E DO TRABALHO
“Tenho feito telemedicina. Confesso que com sucesso. Entenda-se como sucesso a percepção de que o processo tem fluido com naturalidade na relação médico-paciente. Nunca tinha pensado antes na possibilidade de fazer atendimentos online. Tinha um certo preconceito, admito, e me surpreendi com o quanto pode ser funcional e como temos a chance de ajudar outras pessoas”

 

Para ler a entrevista na íntegra acesse aqui.

Deixe um comentário